80% DOS BRASILEIROS ACHAM QUE OS GOVERNOS DEVERIAM USAR MAIS AS MÍDIAS SOCIAIS

De acordo com a pesquisa CNT/MDA divulgada na última quarta-feira (15/02), 80,6% dos brasileiros acham que os governos deveriam usar mais as redes sociais para interagir com a população e 80,2% consideram que os governos deveriam usar mais a internet para auxiliar a população no acesso a serviços.

Penso que essa pesquisa é uma ótima referência para os governos (municipal, estadual e federal) avaliarem a forma como estão se comunicando com a população. Vale destacar que os tempos mudaram e o povo agora quer mais informação e qualidade nos serviços.

O governante que não promover nestes novos tempos uma comunicação eficaz com a população estará fadado ao fracasso. Com a popularização da internet, o surgimento das redes sociais e o barateamento dos smartphones, é fato que o povo está se tornando cada vez mais exigente em relação à política e aos políticos.

Confira abaixo alguns dados da pesquisa sobre o acesso da população à internet e às redes sociais:

73,9% dos entrevistados utilizam computador, notebook, tablet ou smartphone. Entre eles, a maioria (92,0%) usa celulares/smartphones.

70,8% disseram usar a Internet. Entre eles, 78,8% acessam diariamente e 17,2% somente alguns dias da semana. Em relação à finalidade do uso, 64,9% acessam as redes sociais e 51,2% buscam notícias.

Entre os tipos de equipamentos utilizados para o acesso à internet, os entrevistados citaram: celulares (85,6%), computadores/desktop (28,9%), notebooks (21,3%) e tablets (5,9%). 76,6% costumam acessar a internet em casa e 27,4% no trabalho.

Entre as redes que mais utilizam para acessar a Internet, foram citadas: rede fixa (assinatura via internet fixa / WiFi) 69,7% / rede móvel (via pacote de dados) 52,5% / redes públicas (restaurantes, lojas, etc.) 6,4%

49,5% não prestam atenção nas propagandas veiculadas na Internet. Já 29,2% prestam atenção, embora considerem que não sejam melhores que as da TV, rádio, revistas e jornais. E 19,7% disseram prestar atenção e consideram as propagandas melhores.

Sobre as redes sociais que utilizam, os entrevistados citaram: Whatsapp (87,1%), Facebook (78,3%), YouTube (33,7%), Twitter (11,6%), Instagram (2,6%).

80,2% acreditam apenas algumas vezes nas informações que leem ou veem na Internet, e 78,5% acreditam algumas vezes no que leem e veem nas redes sociais.

O Google é citado por 56,5% dos entrevistados como o meio em que mais confiam nas informações. Em seguida, aparecem Whatsapp (17,2%) e Facebook (12,4%). Quando querem conferir alguma informação, 50,5% utilizam a Internet e 41,3% conversam com as pessoas.

Em relação a crianças usarem Internet e redes sociais, 50,1% são contra e 25,3% são a favor, enquanto que 21,1% se consideram indiferentes. A maioria (58,0%) acha que a Internet tem má influência na formação de crianças e 17,6% avaliam que não interfere. Entre os entrevistados com filhos ou dependentes, 37,8% sempre monitoram as ações deles.

Em relação à opinião sobre o uso da Internet nos estudos/trabalho/formação pessoal/profissional, 65,9% afirmam que ajuda, mas é preciso saber usar.

A pesquisa CNT/MDA foi realizada de 8 a 11 de fevereiro de 2017. Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 138 municípios de 25 Unidades Federativas, das cinco regiões. Confira AQUI o levantamento na íntegra.

Clique AQUI para curtir a Fanpage do Blog do Vagner Rosa.