SERIA HUCK O SALVADOR DO ESTADO DO RIO?

Após causar reboliço no meio político, ameaçar as candidaturas de Lula e Bolsonaro e ver seu nome aprovado por 60% dos brasileiros, de acordo com pesquisa Ipsos, o apresentador Luciano Huck declarou em artigo publicado na edição desta segunda-feira (27), da Folha de São Paulo, que não será candidato à Presidência da República em 2018.

“Quem se interessa pelo que sou e faço pode acreditar: vou atuar cada vez mais, sempre de acordo com minhas crenças, em especial com a fé enorme que tenho neste país. Contem comigo. Mas não como candidato a presidente”, escreveu.

No entanto, parece que seu nome não será facilmente descartado como alternativa viável no campo desgastado da política tradicional.

Com a política fluminense em decadência – três ex-governadores presos e pretensos candidatos ao governo citados em casos de corrupção -, já há quem defenda o nome de Luciano Huck para governar o segundo Estado mais importante do país.

Muitos acreditam que Huck daria um novo rumo à desacreditada política fluminense.

Resta saber se ele toparia encarar essa empreitada. Aguardemos, pois, os próximos capítulos da novela “O fenômeno Huck”.

A DERROTA RETUMBANTE DE EDUARDO PAES EM 2018

Aliança PMDB-PT de 2014 poderá se repetir em 2018 – Foto: Divulgação

Em sua coluna desta terça-feira (10/10), Berenice Seara informa que há uma forte possibilidade de o ex-presidente Lula (PT) e o ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB) fecharem um acordo para as eleições do ano que vem.

A chapa ainda contaria com Lindbergh Farias, que tentará a reeleição para o Senado.

Os planos de Lula é ter um palanque forte no Rio.

Caso essa chapa venha mesmo a ser formada, Eduardo Paes vai se queimar feio ao lado de Lula e Lindbergh.

Se com o seu PMDB (que está super desgastado por conta da crise no Estado), Paes não terá uma campanha fácil, que dirá, então, aliado ao PT, ao lado de Lula e Lindbergh?

A tendência é ele sofrer uma derrota retumbante nas urnas.

PEZÃO DESDENHA PESQUISA E DIZ QUE NÃO ESTÁ NEM AÍ PARA OS 81% QUE REPROVAM SEU GOVERNO

Governador Luiz Fernando Pezão – Foto: Divulgação

De acordo com pesquisa Datafolha divulgada no último sábado (07/10), o governo de Luiz Fernando Pezão (PMDB) é reprovado por 81% dos fluminenses. E só 3% o aprovam.

Mas o governador diz que não está nem aí para esses números:

“Não ligo para isso, pois não corro atrás de popularidade. Não serei mais candidato, então, não preciso disso. Nem me preocupo”, desdenha.

Ele afirma que só se preocupa em colocar em dia os salários dos funcionários e servidores, até o fim de seu mandato.

Mas independente de ser candidato ou não, o fato é que o governo de Pezão está com cara de que já acabou. Com o Estado mergulhado numa crise financeira sem igual, fracasso total na segurança pública e amargando uma rejeição de 81%, a impressão que temos é que não há mais nada do que esperar dessa gestão.

A não ser que aconteça um milagre, caso contrário, lamentavelmente, só nos resta mesmo assistir esse governo respirar por aparelhos até o dia 31 de dezembro de 2018.

COM MEDO DA “MIJADA DO CABRAL”, GAROTINHO PEDE ESCOLTA POLICIAL A PEZÃO

Ex-governadores Anthony Garotinho e Sérgio Cabral – Fotos: Divulgação

O ex-governador Anthony Garotinho (PR) tomou conhecimento de que o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) teria dito a colegas de cela, no presídio em Benfica, que “ainda iria mijar” em sua sepultura.

Temeroso com a indireta de seu arquiinimigo político, Garotinho, então, resolveu pedir escolta policial ao governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). É o que informa nota da coluna Informe, do jornal O Dia, publicada neste sábado (7/10).

Desconfiado – afinal Pezão foi eleito com apoio de Cabral -, Garotinho ainda pede que ele mesmo possa escolher os policiais que venham a fazer sua segurança.

Será que Pezão vai atender o pedido do Garotinho medroso?

FIM DE IGREJAS EM PRESÍDIOS??? NÃO SE COMBATE INTOLERÂNCIA RELIGIOSA COM MAIS INTOLERÂNCIA RELIGIOSA!!!

Audiência pública na Alerj contra intolerância religiosa – Foto: Divulgação

Em audiência pública contra intolerância religiosa, realizada nesta quinta-feira (5/10), na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ), representantes das religiões de matriz africana entregaram um documento ao deputado e presidente da Comissão de Defesa de Direitos Humanos e Cidadania, Marcelo Freixo (PSOL), pedindo o fim de igrejas em presídios.

“Os ‘traficantes evangélicos’, os mesmos que vem destruindo templos e aterrorizando afro-religiosos, são arregimentados no cárcere e recebem anotações por ‘bom comportamento’ por suas conversões”, destacam os organizadores do documento.

Sou totalmente contra a intolerância religiosa, mas não é promovendo mais intolerância religiosa é que se vai combater esse grave problema. Propor o fim de igrejas em presídios pode acabar promovendo mais animosidade que paz.

Não é por que alguns criminosos se autoproclamam “traficantes de Jesus” e cometem atos reprováveis de vandalismo contra centros espíritas, que todos os evangélicos terão agora seus belos trabalhos de evangelização nos presídios prejudicados, não é mesmo? Espero que essa ideia absurda não prospere!

Na minha opinião, só há uma solução para combater os tais “traficantes evangélicos”: aplicar o rigor da lei.

As leis estão ai para serem aplicadas, e a Justiça para punir!

GOSTOU DA CONDENAÇÃO DE 45 ANOS, SÉRGIO CABRAL? OU: VALEU A PENA ROUBAR MILHÕES DO ESTADO DO RIO?

Ex-governador Sérgio Cabral – Foto: Geraldo Bubniak / O Globo

Já condenado pelo juiz Sérgio Moro a 14 anos e 2 meses de prisão por recebimento de R$ 2,7 milhões em propinas das obras de terraplanagem do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), o ex-governador Sérgio Cabral foi condenado novamente nesta quarta-feira (20/09) por conta de seu assalto aos cofres públicos do Estado.

Dessa vez, Cabral foi condenado pelo juiz Marcelo Bretas (da 7ª Vara Federal Criminal do Rio) a 45 anos e 2 meses de prisão na Operação Calicute.

“Principal idealizador dos esquemas ilícitos perscrutados nestes autos, o condenado Sérgio Cabral foi o grande fiador das práticas corruptas imputadas. Em razão da autoridade conquistada pelo apoio de vários milhões de votos que lhe foram confiados, ofereceu vantagens em troca de dinheiro. Vendeu a empresários a confiança que lhe foi depositada pelos cidadãos do Estado do Rio de Janeiro, razão pela qual a sua culpabilidade, maior do que a de um corrupto qualquer, é extrema”, afirmou o juiz federal Marcelo Bretas, na sentença.

O magistrado ainda vai julgar outros 12 processos em que o ex-governador é réu.

E a ex-primeira-dama do Rio Adriana Ancelmo foi condenada a 18 anos e três meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e de pertinência à organização criminosa.

E aí, Sérgio Cabral, valeu a pena desviar milhões dos cofres públicos e prejudicar milhares de cidadãos fluminenses? Taí o preço de sua ambição desmedida!

Estes são os novos tempos do Brasil!

QUAQUÁ QUER UM PT MAIS À DIREITA COM LULA E RENAN

Washington Quaquá e o encontro entusiasmado de Lula e o senador Renan Calheiros na caravana do ex-presidente pelo Nordeste – Fotos: Divulgação

Na última segunda-feira (28/08), no site do partido, o presidente do PT do Rio de Janeiro e ex-prefeito de Maricá, Washington Quaquá, publicou um polêmico artigo em que recorreu à uma retórica mirabolante para defender o encontro entusiasmado entre Lula e o senador Renan Calheiros (PMDB), acontecido na semana passada, na passagem da caravana do ex-presidente por Alagoas.

Além de defender uma aliança entre os dois políticos, no final do artigo intitulado “Por um partido lulista, burguês e reformista”, Quaquá deixa bem claro que gostaria de ver um PT mais à direita:

“O Brasil precisa de um novo partido burguês, com programa reformista mínimo, pactuando com as lideranças políticas regionais. Um partido que banque a proposta de uma nova constituinte e que avance na construção do estado burguês de bem estar social. O socialismo é uma aposta futura e de transição. Nesse período, a transição ainda é burguesa e o será por muitos anos. Por isso, é centro da estratégia política montar um partido lulista, burguês e reformista!”, disse o polêmico petista de Maricá.

Parece que Quaquá está ficando de saco cheio com o discurso da esquerda petista.