SENADO SALVA AÉCIO, E PT FAZ TEATRO DE QUINTA CATEGORIA

Plenário do Senado durante votação sobre afastamento de Aécio Neves – Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Por 44 votos a 26, o Senado derrubou nesta terça-feira (17/10) o afastamento parlamentar de Aécio Neves imposto pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Alguém ainda tinha dúvidas de que esse resultado poderia ter sido diferente? Com vários senadores envolvidos em casos de corrupção, o que prevaleceu foi o velho corporativismo de sempre. Amanhã, qualquer outro senador poderia se encontrar numa situação parecida com a de Aécio.

Quanto aos votos contrários, tudo não passou de pura encenação. Agora, quem fez mesmo teatro de quinta categoria foram os senadores petistas.

Vale lembrar que o PT criticou o STF por ter afastado Aécio. Chegou até soltar uma nota se posicionando publicamente a favor da manutenção do tucano no Senado:

“A resposta da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal a este anseio de Justiça foi uma condenação esdrúxula, sem previsão constitucional, que não pode ser aceita por um poder soberano como é o Senado Federal.

Não existe a figura do afastamento do mandato por determinação judicial. A decisão de ontem é mais um sintoma da hipertrofia do Judiciário, que vem se estabelecendo como um poder acima dos demais e, em alguns casos, até mesmo acima da Constituição.

O Senado Federal precisa repelir essa violação de sua autonomia, sob pena de fragilizar ainda mais as instituições oriundas do voto popular. E precisa também levar Aécio Neves ao Conselho de Ética, por ter desonrado o mandato e a instituição. Não temos nenhuma razão para defender Aécio Neves, mas temos todos os motivos para defender a democracia e a Constituição.”

Após a divulgação dessa nota, o PT foi muito criticado e zombado nas redes sociais. A militância e petistas históricos repudiaram o apoio do partido ao senador Aécio Neves.

Pois bem. Nesta terça-feira, para não irritar a militância, os senadores petistas votaram “sim” pelo afastamento do tucano. Não passou de uma grande encenação de quinta categoria.

Veja AQUI como votou cada senador.